Estadão mandou jornalista, sem visto, entrar clandestino na Líbia

Por Rogerio Mattos Costa

E agora?

O enviado do Estadão, Andrei Netto, que seria jornalista, entrou clandestinamente na Líbia, país com o qual o Brasil tem relações diplomáticas normais e onde residem há anos centenas de nossos patrícios trabalhando para empresas brasileiras.

Se ele tivesse feito isso nos EUA, em vez de uns cascudos, poderia estar a essa hora com a boca cheia de formiga, numa valeta na fronteira do México, abatido legalmente por um Texas Ranger…

Isso merece umas perguntinhas suas ao país e ao Estadão.

Senão, daqui a pouco, nossa corajosa mídia corporativa golpista vai exigir a entrada do Brasil na guerra, num replay do “ataque dos submarinos alemães”…

Sugiro algumas perguntas então a serem feitas ao colega Andrei e a seus contratantes:

1. Por onde Andrei Netto entrou na Líbia, exatamente?

2. Quais as escalas que fez e quais os números dos vôos e companhias de aviação que usou?

3. Como as companhias que usou permitiram que ele embarcasse sem apresentar  o visto?

4. Ele pode apresentar comprovantes dos pagamentos das passagens?

5. Em qual aeroporto ele desembarcou da parte aérea da viagem?

6. Como ele procedeu para não precisar apresentar visto de entrada aos responsáveis pela imigração líbios no aeroporto?

7. A entrada na Líbia não foi por algum aeroporto, mas por fronteira seca?

8. Que tipo de veículo foi usado para cruzar a fronteira?

9. Qual a fronteira que cruzou? Em que ponto?

10. Como conseguiu passar  a fronteira sem apresentar visto?

11. Ou ele chegou por mar?  A que horas de qual dia?

12. Em qual embarcação?

13. A que empresa ou organismo pertence essa embarcação?

14. Quem trouxe o cara? Havia alguma proteção militar a essa embarcação?

15. O Estadão sabia que seu contratado ia entrar sem visto, ilegalmente, num país envolvido em combates, bombardeios e conflitos?

16. E porque não providenciou o visto?

17. Não deveria ter tomado essa providencia para garantir a segurança de seu empregado?

18. Qual o tipo de contrato firmado com ele?

19. Quem assinou o contrato pelo Estadão?

20. Existe contrato?

21. O que previa quanto às obrigações das partes quanto ao visto de entrada e o deslocamento?

22. E quanto à segurança do contratado?

23. Tinha seguro?

24. Foi o Estadão que o contratou?

25. Ou uma terceira parte esteve envolvida?

26. Quem o contratou é uma empresa ou organização privada ? Qual o seu nome?

27. Ou órgão governamental?

28. De que país?

29. Algum órgão ligado à inteligência militar ou ao serviço secreto de algum país estrangeiro esteve envolvido na contratação, transporte, proteção e pagamento de despesas de viagem do jornalista Andrei Netto?

30. O Estadão terá feito algum pagamento antecipado dessas despesas?

31. Por qual meio o pagamento foi remetido?

32. O Estadão pode apresentar comprovantes desses pagamentos?

33. O Estadão pretende dar algum tipo de indenização ao jornalista por tê-lo submetido aos riscos, inclusive periculosidade, ou apenas usá-lo em campanha publicitária como está parecendo que vai fazer?

34. Em caso negativo, o Estadão se considera de alguma forma, responsável pelo que aconteceu ao seu contratado?

35. E a FENAJ? Que acha de tudo isso?

Estadão manda enviado à Libia sem visto de entrada, no meio de uma guerra e agora quer “faturar” e transformar o cara em mocinho…

Se esse profissional tem vergonha na cara, processará na justiça trabalhista o mais velho jornal golpista do Brasil por vários artigos da CLT e da justiça comum.

Se ele não processar o Estadão ficará claro o que ele foi fazer lá: cumprir um papel de agente político clandestino, engajado ao lado de uma das facções em luta e não cobertura de profissional do jornalismo.

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/886973-jornalista-brasileiro-libertado-na-libia-levou-coronhada-na-prisao.shtml

Kadaffi não é nenhum santo, mas isso não faz de seus inimigos, “nossos amigos”, certo?

Será que ele foi um desses “jornalistas” que tentaram mostrar “no papo” a mobilização em massa da população contra Kaddafi que nunca existiu

Será que ele “também só com palavras” e sem fotos , ajudou a forjar “o massacre de civis inocentes” onde havia combates com armas pesadas?.

Será que ele também ajudou a descrever em ficções literárias as “batalhas sangrentas” com fotos claramente produzidas, forçadas, “de estúdio” que vimos outro dia , como a do cara numa cadeira de rodinhas disparando com uma metralhadorinha de  mão “contra aviões de Gadaffi”, para forçar o povo europeu a concordar com a invasão da OTAN?

Será que ele foi um dos que relatou a “fuga em massa da população” que a realidade mostrou serem trabalhadores estrangeiros, sendo os pobres somalis caçados como animais, espancados e roubados pelos “rebeldes armados”.

Agora os jornalistas que escreveram tudo isso dão o SEU testemunho(?)

E saem lindos, como heróis, nas fotos claramente produzidas para causar a melhor impressão, principalmente, no publico feminino…

O tempo mostrará a verdade.

Estamos diante de um golpe de estado internacional, montado com cuidado. Algo muito sofisticado. Muito melhor encenado e preparado que a invasão do Iraque e do Afganistão, onde foi preciso que o império contratasse um “inside job”com a AL Qaeda, matando 3500 americanos nas Torres Gemeas…

O plano conta com vasto apoio de internet, com milhares de “voluntários”espalhados no mundo todo, provavelmente sob direção do Mossad que na guerra do Líbano já tinha montado uma rede de mentiras pela internet, dando inclusive publicidade a isso e chamando voluntários pelo mundo todo em matérias de jornais.

E agora, com a prisão e libertação do contratado pelo Estadão, vimos que plano conta também com agentes políticos contratados disfarçados como “” jornalistas” e “fotógrafos” infiltrados clandestinamente no país “alvo”, vindos de vários países, inclusive do Brasil,a fim de apenas traduzir e assinar as matérias, para dar uma tonalidade de verdade aos textos que são produzidos nas redações provavelmente da inteligência militar britânica e americana e distribuídas aos membros da PIG MUNDIAL…

Eis alguns comentários de leitores que a FOLHA, desavisadamente ou propositadamente, publicou. Talvez para justificar o “pau” que seus “trolls”vão dar no Governo Brasileiro, exigindo providências….

Agora, agregaram a coronhada no jornalista.

Pelo visto, esta história vai longe.

Vai ser igual aos navios brasileiros afundados pelos alemães: a PIG vai exigir que o Exército Brasileiro mande tropas imediatamente para invadir a Líbia e “lavar a nossa honra”…

Isso não vai para aí: vai ter repórter machucado vindo de todo lugar, para que em cada país a opinião publica exija uma “desforra” e apóie a invasão da Líbia, mesmo sabendo que o negócio ali é o petróleo e não nenhum direito humano do povo líbio.

Pergunto: o que fazia o jornalista ilegalmente na Libia ?

Talvez, caçando borboletas, visitando sítios arqueológicos???

E aliás, pergunto também: mandar jornalista para que?

A reportagem que ele escreveu já estava pronta na matriz …É só assinar o nome, pedir aos “insurgentes” e “rebeldes” na rua para dar uns tiros e bater umas fotos bem pertinho e as filiais a publicam.

A midia corporativa já sabe o que publicar, é só sentar e esperar que a inteligência militar britânica , americana e israelense produza os textos e envie para a REUTERS, EFE, FRANCE PRESS, etc.

Os caras querem reescrever a história do mundo!

Agora até o Papa Bento “Heil Hitler”  XVI quer até mesmo “mudar a imagem errônea de Jesus”…que há dois mil anos, erroneamente, o mundo cristão adotou…

Os caras estão doidos!!!

Fonte: Blog da Dilma

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: