Archive for abril 24th, 2011

24/04/2011

Para abafar Bafometrogate, esquema de apoio a Aécio faz guerrilha no Twitter

Artigo sugerido por Cleverson Lima

Originalmente Publicado no Blog do Lucas Figueiredo

A guerrilha do esquema Aécio nas redes sociais é tão agressiva quanto artificial

O poderoso esquema de apoio a Aécio Neves no Twitter foi despertado do estado de hibernação no qual era artificialmente mantido. Desde o dia 21, está no ar uma campanha contra jornalistas e blogueiros que, diante da omissão da grande imprensa, fazem na internet uma cobertura independente do Bafometrogage.

O esquema é bruto. Em vez de contestar as informações publicadas, o que seria do jogo, parte-se para a tentativa de desqualificação, agressões e ameaças veladas. O objetivo é sufocar o debate e substituí-lo pela troca de ofensas pessoais (essa estratégia chama-se troll).

Se é surpresa? De jeito nenhum.

Vinte e nove dias antes daquela blitz, o blog já tinha alertado que Aécio é “um político que tem dificuldade em digerir críticas”. E antes disso, em dezembro do ano passado, escrevi sobre o pesado esquema pilotado, dos bastidores, por Andrea Neves, para manter sempre polida a imagem do irmão. Vale repetir um trecho do post: “Enquanto à luz dos holofotes Aécio esbanjava charme, simpatia e leveza e, como Tancredo Neves, seu avô, se esmerava em personificar a conciliação na política, Andrea era, nos bastidores, a general de campo de sangrentas batalhas, o tira mau da dupla, o desgraçado dr. Hyde que assumia os pecados do impoluto dr. Jekyll”.

Veja no vídeo-documentário abaixo, Aécio Neves e o Spam, um exemplo de como funciona o esquema de guerrilha pró-Aécio na internet e de como esse esquema é tão agressivo quanto artificial.


http://www.youtube.com/watch?v=Cc3F4c5cZzg&feature=player_embedded

É verdade que a família Neves costuma jogar pesado contra jornalistas que trabalham em redações, como vocês podem ver abaixo no já clássico vídeo-documentário Liberdade, essa palavra, de Marcelo Baêta. (Deve-se a Luiz Carlos Azenha o resgate do vídeo no seu blog, Vi o Mundo). Na blogosfera, porém, a situação é outra. E é justamente isso que está tencionando a horda aecista: o jornalismo investigativo e independente praticado na internet.

Documentário Liberdade, essa palavra em 3 partes:


http://www.youtube.com/watch?v=keQbzpJVDVw&feature=player_embedded


http://www.youtube.com/watch?v=-2HJjeLNe8I&feature=player_embedded


http://www.youtube.com/watch?v=mc3YR5614kg&feature=player_embedded

24/04/2011

Cooperativa de blogueiros: ideia em discussão

Por Kátia Figueira, do Militantes Virtuais

A proposta de criação de uma cooperativa de blogueiros foi defendida no I Encontro de Blogueiros Progressistas de São Paulo. Mas não é de hoje que blogueiros discutem esta viabilidade.

Durante discussões do #ColetivodaRede este tema sempre foi defendido pelos seus membros, na qual me incluo

Porque uma Cooperativa?? Quais as vantagens de se trabalhar em grupo?

Do ponto de vista Organizacional, blogueiros não têm muitas vezes dinheiro ou tempo para investir em um domínio próprio, então ficam à mercê de servidores gratuitos, como o Blogger, o WordPress ou outros. Com isso dispõe de muito menos recursos do que blogueiros com servidores próprios. E quando digo muitos, são muitos mesmo.Estou falando de bancos de dados, instalação de programas com um clique, etc, etc.

Ter um site que centralize as ações dos blogueiros, como um sindicato que negocia em nome de um grupo, é vantagem. Juridicamente principalmente.

Do ponto de vista financeiro: A profissionalização dos blogueiros, permitindo a inclusão de anúncios nas páginas pessoais.

‘Esta profissionalização não quer dizer que acabariam as opiniões nos blogs, ou que as matérias seriam pagas. Mas, que o blogueiro passe a utilizar a publicidade, permitindo que comerciantes anunciem no blog.

Uma cooperativa, passa a ser a centralizadora da negociação junto a um cliente que busque um determinado número de visualização do seu produto por exemplo. Ou uma campanha publicitária que busque uma grande visualização, mas para um público diferenciado.
Feito isso, a partilha seria de acordo com o retorno de cada blog. Tudo contabilizado, e registrado. Todos sairiam ganhando.

A Cooperativa é uma forma de trabalho coletivo, onde todos ganham. Principalmente na questão representatividade coletiva.

Existem sites que passam esta impressão, aglutinando blogueiros, mas são apenas redes sociais.

A cooperativa que propomos vai além. É um investimento que vale a pena ser estruturado e levado adiante.

24/04/2011

A Vida versus o interesse econômico

Artigo sugerido por Hilda Suzana Veiga Settineri, do Guerrilheiros Virtuais

QUERER UM MUNDO MELHOR PARA NOSSOS FILHOS ==> EDUCÁ-LOS PARA SEREM MELHORES PARA O PLANETA!
A vida humana possui significados diferentes nesse mundo de interesses tão confusos (e escusos.

Na legislação da maioria dos estados nacionais e o Brasil não foge a regra, a vida é exaltada como algo supremo, todavia relativizado, através de mecanismos que permitem a redução dos meios essenciais ao ser humano.

Ninguém diverge da necessidade de produzir alimentos – e o Brasil é um especialista – mas, o que se discute é o modo, o local e o custo da produção.

Até que ponto que a produção agrícola ou de pecuária será capaz de compensar a derrubada da mata e o fim de espécies nativas?

Há sempre uma espécie desconhecida e cujo potencial e valor para a pesquisa científica é incomensurável.

Mas, não bastasse tudo isso, já se sabe desde muito tempo que é possível aumentar a produtividade, sem aumentar a área de produção, inclusive, em muitos casos, com a recuperação de áreas degradadas. Porque algumas pessoas querem um nome Código Florestal mais permissivo?

Diversos são os interesses, políticos, econômicos ou decorrentes de uma visão desenvolvimentista equivocada. O fato é que a legislação ambiental nunca foi totalmente aplicada e por isso, seus resultados sempre foram pífios, insuficientes e flexibilizados para que o interesse econômico suplantasse a proteção ao meio ambiente.

As pessoas com alguma capacidade intelectiva já sabem de antemão que o interesse no novo Código Florestal é esquecer os crimes ambientais já praticados e permitir intervenções ampliadas naquelas áreas consideradas como de proteção.

Ademais, esperam, ainda, que o Código Florestal de tão contestado que já começa a ser, seja algo impraticável e deixe por isso, uma lacunosidade a ser explorada habilmente no interesse econômico como sendo decorrente do desenvolvimento ou como querem alguns, do progresso.

Eu ainda não entendi onde ficam os direitos difusos assegurados na Constituição de 1988, será que os Ministros da Suprema Corte irão relativizá-los quando da interpretação das demandas decorrentes, caso seja sancionado esse apocalíptico Código Florestal?

O que eu sei é que o interesse econômico fez e faz lobby para a sanção desse Documento. O que vai melhorar com a entrada em vigor dessa legislação? Nada.

Apenas, será concedido direito de uma intervenção mais agressiva e sobre bens relacionados a vida e que por isso mesmo, moral e legalmente questionáveis.

%d blogueiros gostam disto: