Uma análise por dentro do governo Beto Richa

Do Blog do Rudá Ricci

Beto Richa foi uma novidade política ao vencer praticamente sozinho as eleições passadas. Mas logo foi sendo atropelado pelas defecções (como o de Gustavo Fruet) e pela ausência de quadros para gerenciar alguns setores do governo estadual paranaense.

Aos poucos, contudo, parece se reequilibrar.
Recebo a seguinte análise de um velho amigo que está no interior do governo:

Beto Richa vai fazer um governo bem melhor do que o do Requião, pois está aberto ao debate com o conjunto social. O Pessuti trancou as informações, mas hoje eles estão totalmente no controle. Tanto o secretário da administração, o Sebastiani, que foi do PT, como o Hauly, na Fazenda, estão fazendo um bom trabalho. Em seis meses recuperaram o caixa do Estado e estão com ótima relação com a Dilma, que hoje viabiliza todos os recursos que o Requião tinha jogado fora por ter uma postura muito agressiva. Na Habitação escolheu um grande quadro da Caixa. Na Agricultura está um ex-AP. E o Flávio na Educação também não é um mal quadro. Na Saúde está um ex-quadro do PCB (CEBS). A saída do Fruet foi bom para o grupo do Paulo Bernardo, pois ao adotá-lo criou um espaço para ocorrer uma fissura interna, mas não com a amplitude que esperavam. O Fruet saiu só e o PDT aqui é inexpressivo. Outro problema que este irá enfrentar é com a Democracia Socialista [corrente interna do PT] que está trabalhando as bases para a candidatura própria e aqui em Curitiba este agrupamento é uma força expressiva dentro do PT (Movimento Sindical de servidores). O PMDB sai com candidatura própria e o Ratinho (filho) hoje desponta à frente do Gustavo Fruet, o que impede a coligação, já que na frente, capitalizado e com o SBT nas mãos fica quase que impossível fazer com que este venha a ser o vice do Gustavo, o que era a estratégia do Paulo Bernardo.

E você leitor? Concorda com essa análise?

One Comment to “Uma análise por dentro do governo Beto Richa”

  1. Esta é a opinião de quem vê o mundo através das janelas dos gabinetes com ar-condicionado dos governos e/ou da academia, sem botar os pés na ruas e a mão na massa.
    Sempre achei os artigos do Rudá Ricci bastante longe da realidade, cheio de um ideologismo beirando ao idealismo, mas nunca pensei que estivesse ele a serviço da beatificação do Beto Richa,escondendo-se atrás de uma suposta fonte dentro do governo paranaense.

    Será que essa é a sina dos ditos revolucionários? Inflar as massas para depois encher a bola da direita?
    É como digo, política é uma questão de geometria, a geometria do círculo, quanto mais para um lado você vai mais próximo do outro fica, até confundir-se com o próprio e, dialeticamente, fundir-se com ele. Essa é a sina dos ultraesquerdistas da academia: Começam na esquerda e acabam na direita.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: