Fórum Social Temático 2012: precisamos reinventar o mundo

Queremos convidar todos os movimentos, redes, entidades e pessoas a participarem do Fórum Social Temático, Crise Capitalista Justiça Social e Ambiental preparatório à Cúpula dos Povos na Rio + 20, de 24 a 29 de janeiro de 2012 em Porto Alegre e na Região Metropolitana, no estado do Rio Grande do Sul – Brasil.

Nossa mensagem é uma só: precisamos reinventar o mundo. Diante da crise sistêmica que assola todas as esferas da vida e da ineficiência em combatê-las por parte dos poderes estabelecidos, torna-se cada vez mais urgente e necessário enfrentarmos estas questões de forma global, aproveitando o período de mobilizações sociais e profundos questionamentos ao sistema que têm emergido em quase todos os continentes. Os povos originários de Abya Yala, os estudantes chilenos, os movimentos em busca de democracia e controle de poder do Magreb-Mashrek, as vastas expressões de indignação frente ao capitalismo financeiro e as corporações na Europa e nos Estados Unidos – todos travam a mesma luta. Este parece ser um momento único para resgatarmos o acúmulo do altermundialismo e do Fórum Social Mundial. Se outro mundo é possível, o será a partir da convergência destes sujeitos políticos, favorecendo a criação de um sentido de propósito comum, identidade e visão de futuro.

Neste marco, o Fórum Social Temático poderá ser o primeiro ponto de encontro d@s indignad@s, das expressões dos povos originários e dos movimentos anti-sistêmicos de todos os quadrantes que voltarão a se encontrar por ocasião da Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável (a Rio + 20), no evento paralelo da sociedade civil – a Cúpula dos Povos na Rio + 20 – , em junho de 2012.

Cientes de que a transformação que buscamos será um processo, pensamos para este Fórum uma metodologia inovadora que proporcione a elaboração de diretrizes e campanhas globais, de uma agenda estratégica e programática capazes de vertebrar uma articulação que transcenda os dias reservados para a realização do FST e traduzam na prática as alternativas que buscamos. O centro desta metodologia é o trabalho dos Grupos Temáticos, prévio ao FST, capaz de capacitar-nos a realizar sínteses políticas em Porto Alegre e mais além.

As inscrições já estão abertas: além das atividades autogestionadas, tradicionais no processo FSM, você e sua rede podem participar dos Grupos Temáticos, centrais a esta edição temática. Dezessete já estão abertos e outros em constituição. Seus trabalhos foram iniciados em um fórum eletrônico acerca dos assuntos relacionados à Crise Capitalista, Justiça Social e Ambiental e poderão permanecer funcionando até a Rio + 20.

Nos primeiros dias (25 e 26 de janeiro de 2012), os Grupos Temáticos farão uma sistematização presencial e no dia seguinte (27 de janeiro de 2012) haverá uma articulação dos participantes dos vários Grupos Temáticos ao redor de quatro eixos transversais:

a) Fundamentos éticos  e filosóficos: subjetividade, dominação e emancipação;
b) Direitos humanos, povos, territórios e defesa da Mãe-Terra;
c) Produção, distribuição e consumo: acesso à riqueza, bens comuns e economia de transição;
d) Sujeitos políticos, arquitetura de poder e democracia.

No dia 28 de janeiro realizaremos as assembléias de encaminhamento para o processo da Rio+20.

Para participar dos Grupos Temáticos, acesse a Plataforma de Diálogos
www.dialogos2012.org ou escreva para grupostematicosfst@gmail.com

Para mais informações sobre o FST, acesse www.fstematico2012.org.br ou escreva para fstematico2012@gmail.com

Contamos com sua presença em Porto Alegre. Vamos continuar reinventando o mundo!

2 Responses to “Fórum Social Temático 2012: precisamos reinventar o mundo”

  1. 2012 tucano: CPI da Privataria, e agora estranha doação milionária

    Mulher de empresário flagrado em vídeo pagando propina no mensalão do DEM em Brasília fez a maior doação de uma pessoa física na eleição de 2010: R$ 8,2 milhões para a direção nacional do PSDB. Escândalo custou cargo de governador do Distrito Federal a José Roberto Arruda, o outro ‘careca’ que o presidenciável tucano de 2010, José Serra, cogitou de vice.

    Na expectativa de ser alvo de uma CPI na volta das férias dos deputados, por causa do livro-denúncia A Privataria Tucana, o PSDB começa 2012 com outra notícia embaraçosa. Depois de 14 meses da derrota na eleição presidencial, soube-se que o partido contou naquela campanha com uma generosidade milionária de uma socialite brasiliense cujo marido foi flagrado em vídeo pagando propina num esquema que derrubaria um governador do Distrito Federal.

    Ana Maria Baeta Valadares Gontijo fez sete doações entre agosto e novembro de 2010 à direção nacional do PSDB, num total de R$ 8,250 milhões. Foi a maior contribuição de uma pessoa física naquela campanha, sendo que a última, de R$ 350 mil, foi informada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com data de 26 de novembro, quando a eleição já tinha terminado. A direção tucana declarou ao TSE ter arrecadado R$ 100 milhões em 2010.

    Em tese, os recursos – os R$ 8,2 milhões de Ana Maria e os R$ 100 milhões no geral – podem ter sido distribuídos a todos os candidatos tucanos e a aliados do PSDB pelo país. Na prestação de contas do candidato do PSDB à Presidência, José Serra, entregue ao TSE, não há registro de contribuições da socialite. A maior parte foi carimbada como sendo contribuição do comitê nacional tucano.

    O que há de potencial para aproximar Serra e Ana Maria é o governador que acabou defenestrado do comando do Distrito Federal por causa do “mensalão do DEM”. José Roberto Arruda, que era do DEM, perdeu o cargo depois de um auxiliar, Durval Barbosa, ter passado à imprensa gravações em áudio e vídeo que mostravam políticos recebendo e empresários entregando dinheiro. Um desses empresários era José Roberto Gontijo, sócio de empreiteiras que fazem negócios em Brasília.

    A uma CPI que em 2010 investigou parte do esquema, Barbosa disse que a gravação com Gontijo mostrava o empresário pagando propina para políticos brasilienses em retribuição a uma empresa dele chamada Call Tecnologia e Serviços ter ganho licitações.

    A propina recebida pelos políticos servia para comprar apoio ao então governador Arruda entre deputados do Distrito Federal, para custear a boa vida deles e para financiar campanhas futuras.

    A denúncia sobre o mensalão do DEM veio à tona em dezembro de 2009. Naquele mesmo ano, Serra, que já era pré-candidato a suceder o ex-presidente Lula, mantinha boas relações com Arruda, o único governador do DEM na época e potencial candidato a vice.

    Em um compromisso público em Brasília ao lado de Arruda pouco antes do escândalo, Serra chegou a brincar: “Se eu definisse algo no plano nacional e ele viesse junto, o lema seria ‘vote num careca e leve dois’”.

    O tucano acabou tendo mesmo um vice do DEM na disputa presidencial, o então deputado federal Índio da Costa (RJ). Não há doações para Índio ou o DEM em nome de Ana Maria na prestação de contas que ambos entregaram ao TSE.

    Nenhum tucano se manifestou sobre o assunto nesta segunda-feira (9).

    Via Carta Maior

Trackbacks

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: